Campanha de vereador em uma cidade pequena, com até 50 mil eleitores: qual o custo?


Introdução:
A maioria dos candidatos a vereador tem uma dúvida. Qual é o custo da sua campanha eleitoral? E neste vídeo, abordarei tudo sobre esse assunto. Principalmente para campanhas em cidades pequenas. Aquelas que têm 30, até mesmo 40 mil habitantes. Que acabam sendo a maioria das cidades no país. Meu nome é Marcelo Vitorino e eu sou consultor de campanhas eleitorais. E já trabalhei em campanhas por todo o Brasil, em todas as 5 regiões. Desde vereador até a presidência da república, venho trabalhando com isso há aproximadamente vinte anos. Tendo realizado campanhas de todos os tipos, para todos os temas, em todos os lugares. E com recursos e condições bastante diferentes uns dos outros. E é por isso que me sinto confortável em falar com você sobre esse assunto. E aqui neste canal, você encontrará outros vídeos com dicas e soluções muito importantes. Tanto para a pré-campanha quanto para a campanha. Então não perca nenhum. Você clica aqui, há um quadradinho que tem um MV. Você clica nele e clica em um sininho que aparecerá. Assim você poderá ativar as notificações, certo? Vamos ao que interessa.

Título: Quanto custa uma campanha de conselheiro em uma cidade pequena?

É muito complicado falar sobre os custos de uma campanha de conselheiro. Porque o país é muito grande e as circunstâncias e características de cada região são muito diferentes. Não podemos padronizar esses custos. Mas mais adiante você verá. Quando terminar este vídeo. Você já terá pelo menos uma ideia de quanto irá gastar e é importante que saiba que este vídeo aborda os 45 dias do período eleitoral. Não tratarei do período de pré-campanha. Apenas tratarei do período eleitoral. E a primeira coisa que você precisa saber está relacionada ao teto. Porque a legislação brasileira estabelece um teto para as campanhas. Por exemplo: em cidades com até 10 mil habitantes, o candidato a conselheiro pode gastar no máximo R$10.800,00. E então esse teto foi divulgado, por volta de meados de março pelo TSE. Você sempre tem que ficar atento às decisões do TSE. Nas regulamentações. Eles publicam uma tabela, cada cidade tem um valor. Que é baseado na população que tem, nem mesmo o número de eleitores. Esse teto de gastos é o máximo que um conselheiro pode gastar. Ele começou com a reforma eleitoral de 2015. E foi válido para a eleição de 2016. Depois esse mesmo valor foi corrigido para a próxima eleição. Então fique de olho e depois dê uma olhada na sua cidade, mas pode se basear na eleição de 2016. Em uma cidade como São Paulo, por exemplo. Um candidato a conselheiro pode gastar R$3.000.000,00. Porque é uma cidade que é uma metrópole. Tem tanta gente lá que o teto é maior. Em cidades menores, o teto é menor. Foi fácil? Muito bem. Você já sabe que tem um limite de gastos. Mas agora precisamos falar sobre o mínimo, que eu imagino que é o que você quer saber. Qual é o mínimo que você precisa investir para ter uma campanha bem-sucedida. Em relação ao mínimo. Acho que você tem que ter uma coisa em mente. Candidato que quer ser eleito. Geralmente precisa parar de trabalhar. Então se você trabalha em uma empresa, é dono de seu negócio. Você tem que planejar, esperar um minuto. Vou passar de um a dois meses sem receber um salário ou ter qualquer renda do meu negócio. Porque você estará dedicado a fazer sua campanha eleitoral. Além de planejar o que você vai gastar. Minha dica inicial é: veja o que você não vai receber. “Ah, mas quero fazer minha campanha e continuar trabalhando”. “E ainda quero ser eleito”. Eu também quero muitas coisas na vida e não vou conseguir tudo se não souber jogar o jogo de cada coisa que gostaria. Se você quiser aumentar suas chances eleitorais. Eu recomendo que você pare sua vida durante o período eleitoral. E vá fazer campanha. Porque alguém que vai competir com você vai fazer isso. Aí está o problema. A menos que você iguale todos os candidatos. Que ninguém vai parar de trabalhar. Então é melhor você parar. Principalmente porque em cidades menores, você tem um mínimo de 9 vagas no Conselho Municipal. Para ter 9 pessoas que vão parar de trabalhar, acho muito mais fácil. Aqui está meu primeiro ponto, que é: Calcular quanto dinheiro você precisará para pagar suas contas durante o período em que estiver fazendo campanha. E deixe claro, hein. É o fundo eleitoral e todas as despesas de campanha. Suas despesas pessoais não estão incluídas. Você pode incluir o aluguel de um veículo nas suas despesas de campanha. Se você não quiser usar o seu. Você pode até usar comida. Mas você não pode fazer suas despesas pessoais. Então conta de luz, conta de água… Já estou avisando que você não pode incluir nas contas. Façamos a conta de trás para frente. Peguei duas cidades aqui, para ter uma ideia mais ou menos de quantos votos um conselheiro precisa ter. Então peguei uma cidade, considerada uma cidade pequena. Que é Uchoa, estou olhando aqui. Uchoa tem cerca de 9 mil habitantes. O prefeito foi eleito com aproximadamente 3 mil votos. E a cidade tem 9 conselheiros. O último da fila, ou seja, o último candidato a conselheiro eleito. teve 208 votos. E o mais votado de Uchoa teve 471 votos. Em outras palavras, não é uma eleição tão difícil. Entre 470 e 280… Na verdade, 208. Eu acho que cabe. Mas Uchoa tem 10 mil habitantes. OK? Então peguei outro exemplo também, para trazer para você. Agora em Alto Paraíso, que é uma cidade em Rondônia. Que é uma cidade com aproximadamente 20 mil habitantes. A conta não é tão diferente de Uchoa. Apesar de Alto Paraíso ter quase o dobro de habitantes. O prefeito lá foi eleito com 4.500 votos. Ou seja, o prefeito de Uchoa foi com 3 mil. O prefeito de Alto Paraíso foi eleito com 4.500 votos? Isso mesmo, vejo aqui. O conselheiro menos votado, de Alto Paraíso. Teve menos votos do que o menos votado em Uchoa. Uchoa teve 208. E o conselheiro com menos votos de Alto Paraíso, teve 175 votos. E o que teve mais votos teve 427 votos. Você pode ver que mesmo que a cidade dobrou o número de votos para se eleger um conselheiro, foi muito perto. Em cidades como Uchoa e Alto Paraíso. Que são cidades consideradas pequenas. Você tem que levar em conta duas características muito importantes. A primeira delas é a condição de ter uma área rural muito grande. Então as cidades pequenas tendem a ter uma área central e o resto áreas rurais. Que acomoda uma boa parte dos moradores. Aliás, tem dificuldade de acessar a internet. A segunda condição é que essas cidades são cidades horizontais. O que torna um trabalho de porta a porta muito mais fácil. Porque como você não tem prédios, pode se aproximar dos cidadãos, dos moradores. Você consegue correr a empresa e se apresentar, tem tempo para atuar. Essas cidades geralmente têm um centro comercial. Que é um centro condensado. Ao contrário do que acontece em uma metrópole, onde você tem vários shoppings espalhados. Em uma cidade menor, é um centro comercial. Eles costumam ter uma praça, uma igreja… Os eventos regulares dessa sociedade. Portanto, a campanha nessas cidades pode ser muito mais barata. É muito mais fácil gerenciar do que em uma cidade grande. E como usar a internet em cidades menores? Bem, sim, a internet é útil. Mesmo que você não tenha uma penetração muito grande nos lugares. Você tem alguns pontos. Você pode usar a internet para registrar as pessoas com quem você fala. Você pode usar para informar sobre seus projetos. Para evitar, quando há um boato. Isso é muito importante. Principalmente uma cidade pequena, porque os boatos se espalham por todos os lados. E claro, para mobilizar as pessoas. Para sair de suas casas para votar. Isso é super importante. Principalmente nas áreas rurais. Então, a internet pode ser uma grande aliada para fazer sua campanha funcionar gastando pouco. Mas como você vai trabalhar com isso? Bem, existem duas maneiras. Você pode fazer todo o trabalho da sua campanha sozinho ou por conta própria. Se você é um candidato. Ou então pode contar com a ajuda de um profissional, mesmo que júnior. Mas é claro, nessas cidades menores você também não terá uma grande oferta de profissionais. Acredito que você terá que pegar alguém que você conhece. Ou até um estudante. Posso até começar a trabalhar com marketing digital para te ajudar. Se você for fazer uma campanha, faça você mesmo. Eu recomendo que você vá para euvereador.com.br agora se for usar alguém para te ajudar. Oh, há outra maneira. Você vai para guiadomarketingpolitico.com.br. Há um link aqui no vídeo para ambos, e também há um link na descrição. Já vi candidatos que usaram trabalho voluntário em suas campanhas e se saíram bem. A questão é se você terá um voluntário. Você sabe que não poderá contar com ele em tempo integral. Então você terá voluntários para te ajudar porta a porta. Você terá um voluntário para te ajudar com suas redes sociais. Voluntário para te ajudar no WhatsApp, é muito trabalho. Se você for conseguir um voluntário, você pode pegar um parente. Nessas horas, todo mundo conta… Primo, tio, cunhado. Até cunhado, cunhado é parente também nessas horas. Você pode pegar todo mundo. E coloca para te ajudar. Em outras palavras, pegue alguém e diga: “você pode me ajudar aqui 3 horas por dia?” “Só fique no WhatsApp para mim, respondendo às pessoas que enviarem mensagens?” Ok, você já ganhou, pelo menos, uma equipe. Se você estiver contratando um estudante. Pelo que pesquisei. Em cidades pequenas, aquelas com 30, 40 mil habitantes. Um estudante fará isso, meio período. Porque ele tem que estudar. Então ele vai trabalhar um máximo de 6 horas na sua campanha. Que está ótimo. É uma campanha pequena também, não é uma campanha que exigirá muitas pessoas, ao contrário de uma metrópole. Em uma metrópole, já vi candidatos a conselheiro terem mais de 10, 15 pessoas em sua equipe. De comunicação. Em uma campanha menor, você pode ter 1 pessoa lá. Que vai publicar o conteúdo, vai gerenciar respostas. Você vai responder a todos os comentários deixados. Vai enviar mensagens para o WhatsApp das pessoas. Vai interagir nos grupos, porque você… Você tem que se preocupar em fazer campanha. Seu trabalho é pedir um voto. Lembre-se, estou falando sobre 45 dias. A campanha eleitoral é uma corrida curta. São apenas 45 dias. Isso vai definir seus próximos 4 anos. Preste muita atenção nisso. Então se você gostou deste vídeo, faça algo por mim? Deixe um like e se possível deixe um comentário. Agora, se você precisa assistir mais materiais sobre a campanha de conselheiro. Eu fiz uma playlist com outros vídeos, falando sobre vários temas e dicas que você precisa saber. Ela vai aparecer aqui em uma janela ao lado. Você clica nela e assiste tudo. Se quiser saber mais sobre o Guia de Marketing Político, há uma janela um pouco mais acima. Você clicar e descobre sobre o melhor material de preparação de candidatos disponível no mercado. Meu nome é Marcelo Vitorino e te vejo no próximo vídeo.

Campanha de vereador em uma cidade pequena: o que considerar?

Em uma cidade pequena, com até 50 mil eleitores, uma campanha de vereador pode ser um desafio, mas também uma grande oportunidade para se conectar com os eleitores de forma mais próxima e pessoal. No entanto, é importante considerar diversos fatores para garantir o sucesso da campanha, incluindo o custo envolvido.

Orçamento da campanha

O primeiro passo para uma campanha de vereador bem-sucedida em uma cidade pequena é estabelecer um orçamento claro e realista. O custo total de uma campanha pode variar dependendo de diversos fatores, como o tamanho da cidade, a estrutura da campanha, a quantidade de eleitores e a duração da campanha. Em média, uma campanha de vereador em uma cidade pequena pode custar entre R$ 5.000 e R$ 20.000, mas esse valor pode ser maior dependendo da competitividade da eleição e das estratégias adotadas.

Despesas com propaganda e material gráfico

Um dos maiores custos de uma campanha de vereador são as despesas com propaganda e material gráfico. Isso inclui a produção de panfletos, adesivos, banners, cartazes e outros materiais de divulgação. É importante investir em materiais de qualidade e que transmitam a mensagem do candidato de forma clara e objetiva, para garantir que os eleitores se lembrem do candidato quando forem às urnas.

Além disso, é importante considerar os custos com a produção de vídeos e posts para redes sociais, que são essenciais para alcançar os eleitores de forma eficaz e engajá-los com a campanha. Dependendo do alcance desejado, o investimento em publicidade online também pode ser necessário, o que acrescenta mais um custo ao orçamento da campanha.

Despesas com pessoal e logística

Outro aspecto a ser considerado são as despesas com pessoal e logística. Isso inclui o pagamento de equipe de campanha, aluguel de espaço para eventos e reuniões, despesas com transporte e alimentação, entre outros custos operacionais. É importante garantir que a equipe esteja bem preparada e motivada para trabalhar em prol do candidato, e que todos os custos operacionais estejam devidamente planejados e controlados para evitar surpresas no decorrer da campanha.

Ao considerar todos esses fatores e estabelecer um orçamento realista, é possível realizar uma campanha de vereador bem-sucedida em uma cidade pequena, com até 50 mil eleitores. A transparência, a prestação de contas e a conexão com os eleitores são essenciais para conquistar a confiança e o voto dos cidadãos, e garantir a representatividade e o comprometimento do candidato eleito com a comunidade.

Investimento em Marketing Digital para Campanha de Vereador em Cidade Pequena

Para uma campanha de vereador em uma cidade pequena, com até 50 mil eleitores, é fundamental investir em marketing digital para alcançar o maior número possível de eleitores. Os custos podem variar de acordo com a estratégia adotada, como anúncios nas redes sociais, criação de conteúdo patrocinado e envio de e-mails marketing para os eleitores.

Custo-Benefício da Campanha de Marketing Digital

É importante considerar o custo-benefício do investimento em marketing digital para uma campanha de vereador em uma cidade pequena. Embora os custos possam ser menores se comparados a uma campanha em uma cidade maior, é essencial garantir que o retorno sobre o investimento seja positivo, ou seja, que a campanha gere mais votos do que o custo empregado.

Otimização de Recursos para Alcançar Eleitores de Forma Eficiente

Para maximizar os resultados da campanha de vereador em uma cidade pequena, é preciso otimizar os recursos disponíveis. Isso inclui segmentar o público-alvo, escolher as plataformas de marketing mais eficientes, como Facebook, Instagram e Google Ads, e acompanhar de perto os resultados para ajustar a estratégia conforme necessário.

Marketing Digital para Campanha de Vereador em Cidade Pequena: Estratégias e Custos

Neste artigo, discutimos a importância do investimento em marketing digital para uma campanha de vereador em uma cidade pequena, com até 50 mil eleitores. Abordamos os custos envolvidos, o custo-benefício da estratégia e a otimização de recursos para alcançar os eleitores de forma eficiente. Com as estratégias certas e um bom planejamento, é possível obter resultados positivos mesmo com um orçamento limitado.

Fonte Consultada: Texto gerado a partir do Vídeo https://www.youtube.com/watch?v=mm40REEXEgI do Canal Marcelo Vitorino – Comunicação e Marketing Político .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima